Conversões
Calculadora
Negócios
Dicas de Leitura
Cotação Online
Curriculun
Tabelas
 

Conversões úteis. Confira !!!



 

TABELAS  E  INFORMAÇÕES  ÚTEIS



   Cores utilizadas para identificar Tubulações Industriais
  
Dilatação dos Tubos de Aço Carbono
  
Classificação e Combate ao Incêndio
  
Observações sobre as Unidades de Pressão
  
Classificação das Válvulas
  
Condições de Potabilidade da Água para Consumo Público.
  
Propriedades dos Gases Industriais
  
Propriedades do GLP
  
Consumo Aproximado de Ar Comprimido por Equipamento
  
Velocidade Econômicas  Recomendadas para Vapor nas Tubulações
  
Perdas da Vapor nas Tubulações sem Isolamento Térmico
  
Abreviaturas de Associações e Instituições Técnicas Brasileiras e Internacional.

      Solicite aos nossos consultores online a tabela de sua necessidade.
      Colabore com PipeSystem enviado tabelas ou informações úteis sobre
      hidráulica ou sistemas de Condução de fluido.



 

 

 

CORES UTILIZADAS PARA IDENTIFICAR TUBULAÇÕES INDUSTRIAIS
(conf. NB-54 R da ABNT)

 Inflamáveis e Combustíveis de Alta Viscosidade

Preto

 Inflamáveis e Combustíveis de Baixa Viscosidade

Alumínio

 Produtos intermediários ou Pesados

Creme

 Gases não liquefeitos

Amarelo

 Vácuo

Cinza Claro

 Eletrodutos

Cinza Escuro

 Álcalis — Lixívias

Lilás

 Ácido

Laranja

 Água - Potável

Verde

  Vapor Saturado — Materiais destinados a combate a   incêndios

Vermelho

 Produtos sob pressão - Ar comprimido

Azul

 Vapor

Branco

 Vapor Superaquecido

Vermelho - Branco - Vermelho

 Gasolina

Marrom - Vermelho - Marrom

 Cor para os demais fluidos - Óleo

Marrom

 


  DILATAÇÃO DOS TUBOS DE AÇO CARBONO

Temperatura oC

mm

50

0,35

100

0,93

150

1,57

200

2,27

250

2,83

300

3,64

350

4,27

400

5,10


 

Classificação   e   Combate   ao    Incêndio

COMBATE  AO  INCÊNDIO

DADOS  SOBRE  OS  EXTINTORES  MANUAIS

CLASSES  DE  INCÊNCIO

Material
Recomendad o

Efeito

Alcance
do
 Jato

Capacidade

Recarga

Controle

A

materiais de combustão comum com madeira, papel, tecidos, fibras, etc

B
líquidos inflamáveis como gaoslina, óleos, tintas, solventes, etc,

C
equipamento s elétricos, transformad ores, motores, subestações , etc

D
gases, inflamáveis , sob pressão

Pó químico seco pressurizado (dry chemical powder)

sufocant e. Elimina o oxigênio.

3 a 6 m. jato intermitent e

2,4,5,8,
12 kg

após o
uso

pelo
manômetr o

somente p/ princípios de incêndio e de pequenas superfícies; porém, exlelente p/ algadão solto.

SIM: exelente também para gases liquefeitos

SIM: excelente

SIM

Gás Carbônico CO2

sufocant e, Esfria e elinina o oxigênio

1 a 3 m.
jato intermitent e

1,2,4, 6 kg

após o uso

por peso (cada 6 meses)

somente p/ princípios de incêndio e de pequena superfícies

SIM: excelente

SIM: excelente também para geradores

NÃO **

Água pressurizada (neblina de água)

penetra molha e esfria

12 a 14 m.
jato intermitent e

10 l.

após o uso

pelo manômetr o

SIM: excelente

NÃO: o líquido incentiva o fogo *

NÃO: condutor de eletricidade

NÃO **

Carga líquida sólida ácido(água em jato sólido)

penetra, molha e esfria

8 a 10 m

10 l.

anual-
mente

pela data

SIM: excelente. O sóda ácido está, praticamente, fora de uso

NÃO: o líquido incentivao fogo *

NÃO: condutor de eletrecidade

NÃO

Espuma (foam)

cobre e sufoca, eliminand o o oxigênio

8 a 10 m

10 l.

anual-
mente

pela data

SIM: excelente quando de superfície

SIM: excelente

NÃO: condutor de eletricidade

NÃO


*   Há possibilidade de uso, desde que o material a ser munuseado seja estudado, previamente.
** Embora este material não seja indicado, existem possibilidades de emprego, após prévio estudo do material a ser manuseado, por empresa especializada
.

 

 

 

SOBRE AS UNIDADES DE PRESSÃO

a)
o bar é a unidade recomendada para substituir a "atmosfera" e o "quilograma-força por centímetro quadrado", nas medidas das pressões encontradas correntemente na Engenharia e na Indústria.
A primeira é um múltiplo decimal da unidade SI, e o seu valor exato 10 N/cm2 é intermediário e pode mesmo ser entendido como um arredondamento dos valores das unidades usuais.

                 
atm = 10,1325 N/cm2 e kgf/cm2 = 9,806 N/cm2

b)  o metro de água é teoricamente igual a 9806,65 N/m2 , o que corresponde à água pura a 4 oC, sob pressão de uma atmosfera e num lugar em que a aceleração da gravidade é igual ao seu valor normal.
Como todas essas condições nunca se verificam simultaneamente, é conveniente usar um valor arredondado e mais realista para essa unidade.
Assim sendo, para os trabalhos correntes de hidrotécnica, é recomendado:

                 
1 mH2 O =10 000 N/m2 = 1 decibar (dbar)

c) para as pressões que são comumente expressas em milímetros de mercúrio, e para as pressões muito pequenas, são recomendados os submúltiplos decimais do bar., como o milibar e o microbar.
Na prática pode ser considerado:

                 
1 mbar = 0,75 mmHg

Obs.: Para conversões veja também a página CONVERSÕES

 


 

VÁLVULAS

São dispositivos destinados a estabelecer, controlar e interromper o fluxo em uma tubulação. São  acessórios muito importantes nos sistemas de condução, e por isso devem merecer o maior cuidado na sua especificação, escolha e instalação.
As válvulas classificam-se em:

    Válvulas de Bloqueio:
    São válvulas que se destinam primordialmente a estabelecer ou interromper o fluxo, isto é, só devem funcionar completamente abertas ou completamente fechadas.

    Tipos:
    - válvulas de gaveta (gate valves)
    - válvulas de macho (plug, cock valves)
    - válvulas de esfera (ball valves)
    - válvula sde comporta (slide, blast valves)

    Válvulas de Regulagem
    São destinadas especificamente para controlar o fluxo, podendo por isso trabalhar em qualquer posição de fechamento.

    Tipos:
    - válvulas globo (globe valves)
    - válvulas agulha (needle valves)
    - válvulas de controle (control valves)
    - válvulas borboleta (butterfly valves)
    - válvulas diafragma ( diaphragm valves)

    Válvulas que permitem o fluxo em um só sentido
    - válvulas de retenção (check valves)
    - válvulas de retenção e fechamento (stop-check valves)
    - válvulas de pé (feet valves)

    Válvulas que controlam a pressão de Montante
    - válvulas de segurança e de alívio
    - válvulas de excesso de vazão (excess flow valves)
    - válvulas de contrapressão ( back-pressure valves)

    Válvulas que controlam a Pressão a Jusante
    - válvulas redutoras e reguladoras de pressão
    - válvulas de quebra vácuo (ventosas)
    .


 

CONDIÇÕES DE POTABILIDADE DA ÁGUA, TRATADA OU NÃO, PARA O CONSUMO PÚBLICO (CONFORME  ABNT)

DETERMINAÇÃO

Limites
Recomendados

Limites
máximos  tolerados

UNIDADES

Cor

10

30

mg/l Pt

Odor

Inobjetável

Ausência de odor

 

Sabor

Inobjetável

Ausência de sabor

 

Turbidez *

1

5

mg/l SiO2

Dureza Total

100

200

mg/l CaCo3

pH e Alcalinidade **

pHs (pH de saturação)

pH=6 e inseção de
alcalinidade cáustica

 

Sólidos Totais

50

1.000

mg/l

Arsênico

0,05

0,10

mg/l As

Cálcio

Limitado pelo Valor da Dureza

Limitado pelo Valor da
Dureza

 

Chumbo

-

0,10

mg/l Pb+2

Cloretos

-

250

mg/l Cl-1

Cloro Livre

0,20

0,50

mg/l Cl2

Cobre

-

3

mg/l Cu+2

Cromo Hexavalente

-

0,05

mg/l Cr

Ferro Total

-

0,30

mg/Fe+2

Fenólico

-

0,001

mg/l Fenol

Fluoretos

1,00

1,50

mg/l F-1

Magnésio

Limitado pelo Valor da Dureza

Limitado pleo Valor da
Dureza

 

Manganês

-

0,10

mg/l Mn+2

Selênio

-

0,05

mg/l Se

Sulfatos

-

250

mg/l SO-24

Zinco

-

15

mg/l Zn+2

   * em Turbidímetro Jackson
 ** o pH = 6 refere-seao limite mínimo tolerado e o limite máximo é condicionado pela isenção de alcalinidade cáustica.


 


PROPRIEDADE  DOS  GASES  INDUSTRIAIS

 

Densidade
líq.
kg/l

Densidad e
gás
kg/m3

Congelame nto
líq. oC

Calor de
Evaporaçã o
kg / cal

Temperat ura
Crítica
gás oC

Pressão
Crítica
gás

Limite
Inflamabilidad e
gás

Argônio

1,393

1,656

 - 189

17,69

122

49,5
kg/cm2

-

Hidrogênio

0,071

0,083

-

48,64

240,2

12,8 atm

4 - 74% no ar
4 - 96% no O

Nitogênio
(azoto)

0,808

1,160

- 260

-

- 240

-

-

Oxigênio

1,142

1,327

- 218

-

-

-

-

Acetileno

0,618

1,088

-

-

-

-

no ar
2,8 - 82%

                       Porcentagem em "O"    Volume Específico       Ponto Ebulição       Limite de Explosão
Acetileno                                                   gás - m3 / kg                      líq. - oC                       % de acetileno
                                2,8 - 93, 0                          0,905                              - 84,0                          no ar 2,5 - 80,0
                                                                                                                                                     em "O" puro 3,0 - 93,0


 
 

 

PROPRIEDADES DO GLP

PROPANO

ISO-BUTANO

BUTANO

Ponto de ebulição normal  oF
                                        oC

-43,8
-42,3

10,9
-11,7

31,1
-0,5

Densidade em relação ao ar
                    em relação a água

1,52
0,508

2,0
0,563

2,0
0,584

Valor Calórico     BTU /lb
                              kcal / kg
                              BTU / pé cub.
                              kcal/m3

21,690
12,050
2,521
22,434

21,290
11,829
3,259
29,000

21,340
11,856
3,267
29,073

Limite de inflamabilidade
(% de gás na mistura ar-gás)
                                 inferior
                                 sperior



2,4
9,5



1,8
8,4



1,9
8,5

Relação de queima volume ar-gás

23,87

31,03

31,03

Pressão do vapor (PSIG)
                           a  37,8   oC
                           a 15,6%  oC

172
92

59
24

37
12

Temperatura máxima da chama
                            com ar
                            com "O"

1927 oC
2849 oC

1927 oC
2849 oC

1927 oC
2849 oC

 


CONSUMO APROXIMADO DE AR COMPRIMIDO POR EQUIPAMENTO

 

PRESSÃO REQUERIDA

CONSUMO UNITÁRIO MÉDIO
DE AR LIVRE

 

lb poleg.

kg /cm2

pé cub. / minuto

l / min

Elevadoes Hidráulicos de 1,5 ton (pistão de 6" diâm.)

145 - 175

9,8 - 12

3,50

98,00

Elevadores Hidráulicos de 4" ton. (pistão de 10" diâm.)

145 - 175

9,8 - 12

5,25

149,0

Elevadores Hidráulicos de 7 ton. (pistão de 12" diâm.)

145 - 175

9,8 - 12

9,15

169,0

Elevadores Hidráulicos de 10 ton. ( pistão de 2 x 10" diâm.)

145 - 175

9,8 - 12

10,5

298,0

Elevadores Hidráulicos de 10 ton. (pistão de 1 x 10" - 1 x 12" diâm.)

145 - 175

9,8 - 12

14,3

400,0

Elevadores Hidráulicos de 15 ton. (pistão de 2 x 12" diâm.)

145 - 175

9,8 - 12

18,3

438,0

Lubrificação Pneumática

120 - 150

8,2 - 10,2

13,0

369,0

Aspirador

120 - 150

8,2 - 10,2

6,50

184,0

Enchimento de Penumáticos - balança de ar ou bico

100 - 120

6,8 - 8,2

1,50

42,5

Pulverização Pneumática

70 - 100

4,8 - 6,8

2,50

71,0

Limpador de Velas

70 - 100

4,8 - 6,8

5,00

142,0

Pintura Geral

70 - 100

4,8 - 6,8

8,50

241,0

Pintura - Retoque

70 - 100

4,8 - 6,8

2,25

63,6

Aplicação de Revestimento

70 - 100

4,8 - 6,8

19,00

538,0

Lavagem de Câmbio e Diferencial

70 - 100

4,8 - 6,8

3,00

85,0

Guindastre

70 - 100

4,8 - 6,8

1,00

28,3

Martelete Penumático

70 - 100

4,8 -6,8

16,50

468,0

Martelete Paralamas

70 - 100

4,8 - 6,8

8,75

248,0

 


Velocidades Econômicas Recomendadas
para Vapor nas Tubulações

CONDIÇÕES
DO
VAPOR

PRESSÃO
EM
kg / cm2

APLICAÇÕES

VELOCIDADE
RAZOÁVEL
RECOMENDADA
m/s

saturado

0 a 1

para fins de aquecimento (linhas curtas)

20 a 30

saturado

3,5 e  acima

para variados usos comuns

30 a 50

Super-aquecido

14 a acima

linhas de alta pressão
(diâmetros grandes)

35 a 100

 


Perdas da Vapor nas Tubulações se Isolamento Térmico
(por m e por h  -  em kg de vapor)

PRESSÃO

DIÃMETROS  DOS  TUBOS

kg / cm2

libra/
polegada quadr.

1"

2"

2.1/2"

3"

4"

5"

6"

m2

5

75

0,220

0,400

0,520

0,600

0,800

1,000

1,200

2,560

6

90

0,215

0,430

0,560

0,640

0,860

1,080

1,280

3,050

7

105

0,232

0,460

0,600

0,690

0,920

1,150

1,370

3,250

8

120

0,245

0,490

0,635

0,732

0,975

1,22

1,46

3,5

9

135

0,256

0,512

0,670

0,770

1,20

1,260

1,54

3,650

10

150

0,270

0,540

0,700

0,820

1,040

1,34

1,620

3,850

12

180

0,290

0,580

0,760

0,870

1,080

1,450

1,740

4,150

14

210

0,310

0,620

0,820

0,940

1,250

1,560

1,870

4,450

20

300

0,365

0,730

0,950

1,090

1,450

1,820

2,090

4,950

 

ABREVIATURAS DE ASSOCIAÇÕES E INSTITUIÇÕES TÉCNICAS
BRASILEIRAS E INTERNACIONAIS

ABDE - Associação Brasileira de Bancos de Desenvolvimento.
ABDIB   -  Associação Brasileira para o Desenvolvimento das Indústrias de Base.
ABIGRAF -  Associação Brasileira da Indústria Gráfica.
ABINEE -  Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica.
ABM - Associação Brasileira de Metais.
ABNT -  Associação Brasileira de Normas Técnicas.
ANFAVEA - Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores.
ANIP - Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos.
BNDE -  Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico.
CEPAL - Comissão Econômica para América Latina (Organismo da O.N.U.)
CMN -  Conselho Monetário Nacional.
CPA -  Conselho de Política Aduaneira.
FINAME - Fundo p/financiamento de Máquinas e Equipamentos.
IAB -  Instituto de Arquitetos do Brasil.
IBS -  Instituto Brasileiro de Siderurgia.
IESP -  Instituto de Engenharia de São Paulo.
INL -  Instituto Nacional do Livro.
INMETRO -  Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial.
IPEM - SP  -  Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo.
IPT -  Instituto de Pesquisas Tecnológicas.
ITA -  Instituto Tecnológica de Aeronáutica.
AAR -  Association of American Railroads.
ABITAM - Associação Brasileira da Indústria de Tubos e Acessórios de Metal
ABS -  American Bureau of Shipping.
AEC -  Atomic Energy Commission.
AFNOR  - Associação Francesa de Normas.
AISC -  American Institute of Iron and Steel Construction.
AISI -  American Iron and Steel Institute.
ANSI -  American National Standards Institute.
API -  American Petroleum Institute.
AREA -  American Railway Engineering Association.
ASA -  American Standard Association.
ASME -  American Society of Mechanical Engineers.
ASTM -  American Society for Testing and Materials.
AWS -  American Welding Society.
AWWA - American Water Works Association.
BS -  British Standards.
BV -  Bureau Veritas.
CPI -  Chemical Process Industry.
DIN -  Deutsche Industrie Normen.
EPA -  Environmental Protection Agency.
FDA -  Food & Drug Administration.
FML - Factory Mutual Laboratories.
IEEE -  Institute of Electrical and Electronic Engineers.
ISA -  International Standardizing Association.
JIS -  Japanese Industrial Standards.
LRS - Lloyd's Register of Shipping.
MIL -  US Military Specification.
MSS -  Manufactures Standardization Society of the Valve and Fitting Industry.
NEC -  National Electric Code.
NEMA -  National Electrical Manufacturers Association.
NFPA -  National Fire Protection Association.
NV - Norske Veritas.
OSHA -  Occupational Safety & Health Administration.
R & D -  Research & Development.
RPI   - Railway Progress Institute.
SAE  - Society of Automotive Engineers.
SIS  - Swedish Industrial Standards.
SPI  - Society of the Plastic Industry.
TEMA   -  Tubular Exchanger Manufacture Association.
UL  -  Underwriters Laboratories.
USAS - United States of America Standards Institute

Pesquisa personalizada